Histórias, algumas reais

quinta-feira, 5 de março de 2009

Dipsy

Na 1ª vez que corri, fiz 50 minutos. Um exagero para a minha condição física, idade e características individuais.

Um erro consequente da minha inexperiência, e indo contra o conselho técnico dos meus amigos que já corriam há uns anos. Acabei o treino a coxear.
No dia seguinte mal podia andar, mas ainda o pior foi ter gasto quase por completo a sola dos...pés! Sim dos pés! É que achei que devia correr descalço. Adepto da vida saudável e amigo da natureza, achei que o mais natural era correr descalço.

Também até hoje ainda não encontrei umas sapatilhas que se adaptassem às minhas extremidades (pés). Por isso continuo a correr descalço. Com a continuação acaba-se por formar um calo bastante resistente.

Nunca participei em provas. Nem sei se gostaria. Parece-me muita confusão, demasiada gente, trânsito, betão e poluição. Prefiro treinar no pinhal, quase sozinho, na companhia dos pássaros, coelhos, árvores e mais alguém. Quase todas as manhãs, lá pelas 5:45 hrs, lá ando eu correndo à minha maneira no meio da natureza.

O mais giro que me aconteceu nestas aventuras foi numa certa manhã ter encontrado uma linda fêmea passeando pelos mesmos caminhos. Ela mostrou-se receptiva e lá fomos os dois dar uma voltinha juntos. Deixou-me doido a miúda. Esqueci-me completamente das pessoas queridas que tinha em casa à minha espera, esqueci-me do treino e desaparecemos os dois pelo matagal. Depois...ela foi à vida dela e eu dei por mim perdido no pinhal. Desorientei-me e já nem sabia o caminho para casa onde as pessoas que mais me querem já estavam certamente preocupadas. Voltas e mais voltas e lá dei com o caminho.

Que alívio! Que felicidade ser de novo abraçado por quem mais amo! Mas confesso que não sei se me serviu de emenda...

Ah... Falta dizer que me chamo Dipsy e que em muitos dias é graças a mim que a minha dona se levanta de madrugada para ir correr. A propósito, sabem que os vossos amigos peludos de 4 patas podem muito bem ser uns óptimos companheiros de corrida? Mas não se esqueçam que temos de levar identificação connosco para o caso de termos uma aventura parecida...

Ana Pereira, 2001

4 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Uma hgistória engraçada... gostei de ler e de te visitar. Mas continuas com frio... eheheh...
Bom resto de semana, beijo.

Nilson Barcelli disse...

Ah...
Quando me vistares podes comentar... se gostares do que escrevo...

Madalena Muñoz disse...

Adorei. Muito engraçado. Também tenho um cão, por isso gostei da surpresa de ver a fotog dum cão no final desta história, muito bonito, por sinal.

Obrigada :)
Madalena

S* disse...

Ah esse cão ainda está aí para as curvas. :d O engatatão.