Histórias, algumas reais

quarta-feira, 23 de junho de 2010

A Mãe e as Regras


Anda há uns dias a filha da mãe a pedir para ir “treinar” para a pista. A miúda comentou que se há seis pistas numa pista, então o que vai na pista de dentro corre menos! A Mãe lá lhe explicou o pouco que sabe: as partidas são dadas em linhas diferentes. A que está mais dentro parte mais atrás, a da pista seguinte um bocadinho mais à frente, a da seguinte ainda mais à frente e por aí fora, de forma que corram todas a mesma exacta distância. A miúda deu-se por convencida mas pediu à mãe para a levar a treinar numa pista.

A Mãe nunca insistiu para a miúda correr, e arrelia-se tanto quanto a pequena quando os colegas de equipa só sabem perguntar à miúda: “Então? Vais correr? Tens de começar a correr como a Mãe
!”, mas se a iniciativa de querer ir treinar para a pista parte da própria miúda, e se surge algum interesse pelo atletismo, então, a mãe envaidece-se toda e não vai perder a oportunidade de tentar mostrar à miúda o prazer e benefícios que pode tirar da corrida. Ia lá a Mãe perder uma oportunidade destas!

Combinaram para um fim de semana e mesmo se chovesse, o “treino” ia fazer-se. Assim, num sábado de manhã dirigem-se à pista de atletismo da Câmara Municipal de Almada. Pista aberta, no relvado está a decorrer um jogo de futebol de crianças.

A pista é rodeada por relva, e circunda ela um belíssimo relvado que não é mais que um campo de Rugby.

A Mãe
faz uns ligeiros alongamentos, e começa a correr na pista com a criança, pois a relva do lado de fora da pista está alagada. Tinha chovido toda a noite e só não chovia naquele momento por sorte.

“- Vamos pela pista do lado de fora, a de dentro é para os mais rápidos.”
“- Então tu vais para essa e eu fico na pista de fora! Ando mais devagar que tu mãe!” – a miúda está entusiasmada! Vamos devagar e a mãe vai-lhe dizendo que não interessa ir muito depressa para não conseguirmos correr mais daqui a nada. Interessa sim ir devagarinho e aguentar mais tempo.

“-Vamos tentar dar uma volta completa, ou talvez duas, que achas?”- pergunta a mãe.
“-Duas! Assim vamos muito devagarinho! Eu aguentava muito mais depressa!”
“- Vamos com calma, devagarinho, assim”

Fazem apenas 100 metros até encontrarem alguém que lhes diz:

“-Não podem andar aqui a correr! Há competições, e dizem as regras que quando há competições não se pode andar aqui a correr!”

A Mãe pára estupefacta. Regras? Claro que há regras! Mas a Mãe e a miúda incomodarão a competição que decorre? Passam-lhe imensas coisas pela cabeça, fica calada, e o senhor diz:

“-Diga minha senhora!”
E a Mãe diz: “Não vale a pena!”
“-Diga lá minha senhora!”
“- Acha que eu e a miúda estamos a incomodar a competição?”
“-Não é isso! São as regras! Alguma bola que sai do campo e vos atinge, já viu?! São as regras! Alguma coisa, escreva a reclamar para a Câmara! Eu só cumpro as regras!”

Era o que a mãe dizia. Não vale a pena! Está tudo dentro das regras! Ao sábado de manhã queremos ir correr com a nossa filha de 8 anos, dentro de uma pista de atletismo e as regras não nos deixam lá Correr porque há uma competição de Futebol!

As regras! Fantásticas as regras! Estaria tudo fantasticamente perfeito se aquilo não fosse uma Pista de Atletismo! Que nem campo de futebol tem! É de rugby! Mas então, é um jogo de futebol! As regras dizem que se alguém quiser jogar futebol dentro da pista, os que queiram correr que vão para a estrada ou para outro lado qualquer! Correr ali? Não!!! Está-se a jogar Futebol!!!!

É preciso dizer mais alguma coisa? Claro que não, estamos todos a cumprir as regras! Fantástico este mundo do Atletismo em Portugal.

E fantástica é a Câmara Municipal de Almada que dita as regras! E na sua Pista de Atletismo joga-se Futebol neste sábado de manhã!

A Mãe
sai da pista. Tem na cabeça a maior revolta mas não o denuncia! As regras estão a ser cumpridas! Vai com a miúda para outro local, onde igualmente correm.

Aproveitam para colher folhas de árvores e arbustos para o herbário que a miúda está a fazer. A Mãe mostra o que é correr no meio da natureza, o que de longe até prefere! Enquanto correm, observam as plantas, os bichinhos, e a mãe até lhe chama a atenção para ela sentir como é bom pisar aquele chão macio de terra molhada, onde teimosamente vêm cair umas gotinhas de chuva. Mas a miúda tinha mostrado interesse na pista, em correr lá, em conhecer o local de onde se parte, onde se chega, etc. Ela tinha mostrado interesse…e o que lhe fizeram? Tem 8 anos apenas.

E assim vai o nosso Atletismo.

A Mãe, 16.02.2006

3 comentários:

Fernando Andrade. disse...

Olá Ana
Já tinha saudades das estórias da Mãe ! Ainda bem que me trouxe a esta com o link que me deixou no seu oportuno comentário no "cidadão". E, no fundo, o tema abordado, vai bater na mesma tecla :os regulamentos prevalecem sobre o humanismo. "Equipam" os seus "zelosos" cumpridores, com autênticos "cabrestos" que só lhes permitem ver as regras. Nada mais conta! Não existe nenhuma diferença entre essas pessoas e os androides. Estão "programados para aquilo e não conseguem fazer outra coisa. Lamentável.
É urgente que se humanize a corrida,com dirigentes sensíveis, que saibam incentivar em vez de reprimir.
Beijinho, Ana
... e deixe lá! Diga à miúda que os trilhos naturais também são excelentes pistas, onde o futebol -pelo menos aí- não dita as regras.
FA

S* disse...

Essa Mãe sabe ultrapassar os obstáculos e deitou abaixo as regras com distinção. :)

Vitor Veloso disse...

Olá Ana,
Lindo.....
Bjs
Vitor